História

História

História

NOSSA FUNDAÇÃO

O recinto ferroviário, com campo improvisado para jogar futebol, foi cenário da fundação do Sport Club São Paulo. Os amigos ferroviários, Adolpho Corrêa, Bartholomeu Casanova e Alexandre Lempek, nas horas de folga, costumavam assistir os treinamentos do Sport Club Rio Grande. Não tiveram oportunidade de participar, tendo em vista, a elite da época, na sua maioria formada por alemães e ingleses, não permitir.

Em um final de semana, no decorrer de 1908, os 3 jovens estão assistindo uma partida, quando um chute mais forte de um dos jogadores do RG, faz com que a bola atinja uma trajetória longa, e se perca nas macegas. Um adolescente apressa-se em buscar a bola. Com o precioso balão de couro importado, o guri, filho de poloneses, comemora a façanha e a entrega aos amigos mais velhos. Alexandre Lempek é o garoto de 16 anos.

Este momento histórico e pitoresco, oficializa como clube, na ata assinada, num domingo à tarde, em 4 de outubro de 1908, no recinto ferroviário.

Assinam a ata: Bartholomeu Casanova, Hermenegildo e José Bernardelli, José Sartori, Gustavo Hugo Kesller, Eusébio Reis, Luiz Cassaniga, Ítalo Gagliardi, Ernesto Alves da Rosa, Roberto e Ismael Cruz, João Truckijo, Arduino Dalleore, Demétrio Gonçalves, Annibal Ventura, Delphim Machado, Geraldino Romeu, João Rosa Júnior, Damoso Andrade, Carlos Gerardi Cuchiara, Antônio Furlaneto e Demétrio Ribeiro de Araújo, como fundadores. Alexandre Lempek por ser menor, não assinou a ata.

A Federação Gaúcha de Futebol promoveu em 1985, a Copa Estadual Bento Gonçalves, a finalidade era homenagear os 150 anos da Revolução Farroupilha. A dupla Grenal disputou com seus times titulares, o Leão do Parque foi o campeão do torneio.

Já no primeiro campeonato citadino, organizado pela Liga em 1916, o Sport Club São Paulo sagra-se o flamante campeão. São 31 títulos municipais em toda a sua história.

Em 1933 é o primeiro clube da cidade a conquistar o Campeonato Gaúcho, vencendo o Grêmio Porto-alegrense, por 2x1. Campeão Estadual da Segundona em 1970, com participação ativa em muitos campeonatos gaúchos. Campeão do Interior em 1979.

Em rápidas pinceladas, este é o Sport Club São Paulo, desde a década de 20, século passado detentor da maior torcida da terra papareia. Fundado pelo proletariado, onde sua gente altaneira, construiu um dos clubes mais populares do RS.

 

 

PARTICIPAÇÃO EM CAMPEONATOS NACIONAIS

Disputou campeonatos Nacionais de 1979 a 1982. A Copa Brasil-Sul em 1986, retornando a série D do brasileiro em 2016.

O clube adquiriu a vaga que o devolve ao circuito nacional do futebol. A história rubro-verde mostra participações marcantes em campeonatos nacionais, como revela o material reunido por Renato Lempek, com colaboração do jornalista Willy Cesar. Hoje, curador do memorial, que está sendo montado pelo clube, Lempek relembra o ano de 1976, quando o São Paulo começou a ser impulsionado entre os grandes do Brasil.

Em dezembro de 1976, um grupo de eméritos são-paulinos, liderados pelo patrono Aldo Dapuzzo, reuniu-se no restaurante do Frigorífico Anselmi, com a presença do presidente da Federação Gaúcha de Futebol, Rubens Hofmeister. Na ocasião, foi tratada a possível participação do SCSP em campeonatos nacionais, tendo em vista a abertura, pela Confederação Brasileira de Desportos, a clubes do interior dos estados, desde que cumprissem exigências na melhoria dos seus estádios. O presidente Hofmeister comprometeu-se em ajudar o Leão do Parque, dando o prazo de dois anos para a realização das obras.

Naquele dia, ficou acertado um planejamento de obras de infraestrutura, como também as presidências para o próximo triênio, a fim de colocar a praça de esportes são-paulina de acordo com as exigências. Coube ao presidente Jovino Mansan, em 1977, implantar o sistema de iluminação que foi remodelado em 2014.

Ao presidente Renato Lempek, em 1978, a reestruturação dos vestiários, implantação do restaurante e vestiários para categorias de base, sala de musculação, concentração, construção das cabines para imprensa acima do pavilhão e remodelação na sala ngelo Mattos, com galeria de troféus e gabinetes para a administração do clube.

Ao presidente Edemir Ribeiro, em 1979, a construção da atual arquibancada, ferradura, pórtico de entrada dos Leões e o novo acesso ao túnel de entrada para o gramado. Nesta fase, junta-se ao grupo o jovem engenheiro Paulo Renato Cuchiara. Conforme o planejamento, estávamos aptos a dar passos maiores já neste ano. Rubens Hofmeister cumpriu sua promessa.

1979 – Na presidência de Edemir Ribeiro, devido à excelente campanha do clube no gauchão, realizado no primeiro semestre, fomos galgados à Copa de Prata, equivalente à atual Série B, mas que classificava para a fase seguinte, chamada de Copa de Ouro. Grêmio foi o campeão, Esportivo vice-campeão, Inter terceiro colocado e o São Paulo o quarto. Portanto, em 1979, o Rubro-Verde foi campeão do Interior do RS. Com esta classificação, foi adquirido o direito de participar da Copa de Prata, de 1979, organizada pela Confederação Brasileira de Desportos. Integrando a Chave B, com 10 clubes, a classificação veio com a 5ª colocação. Nesta fase, formou-se o Grupo C, com 8 clubes, onde o São Paulo avançou em 6º, tendo como técnico Ernesto Guedes, e Pedro Pepe como preparador físico. O Inter foi o Campeão Brasileiro deste que foi o último campeonato organizado pelo Confederação Brasileira de Desportos, tendo em vista a criação da Confederação Brasileira de Futebol.

1980 – Na presidência de Valdomiro Lima, o Campeonato Brasileiro teve início no primeiro semestre. Nas novas regras, além dos clubes com direito adquirido no RS, Grêmio e Internacional, os campeões e vices dos estados, participariam da disputa. Como em 1979, o Esportivo foi vice-campeão e não tendo estádio à altura das exigências da Federação Gaúcha de Futebol (FGF) e Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o São Paulo, que foi o 4º colocado no Gauchão, levou a vaga para disputar a Copa de Ouro de 1980. Dez clubes formavam o grupo do São Paulo, entre eles o Santos, Flamengo, Inter e Ponte Preta. Na ocasião, a classificação à fase seguinte não aconteceu. Laone Luz e Ernesto Guedes, como técnicos, e Pedro Pepe, como preparador físico, integraram a comissão técnica do Leão.

1981 – Na presidência de Renato Lempek, devido à classificação no Campeonato Gaúcho de 1980, São Paulo, Inter de Santa Maria e Novo Hamburgo foram classificados para a Copa de Prata. Participaram 48 clubes, entre eles: Guarani, São Paulo, Palmeiras, Curitiba, Bahia e Náutico. Na classificação geral, o São Paulo ficou em 27º lugar. Técnico Marco Eugênio, preparador físico Pedro Pepe.

1982 – Na presidência de Domingos Escovar, tendo em vista a 5ª colocação no Gauchão de 1981, foi galgada a vaga na Copa de Prata de 1982. Mais uma vez chegando à Copa de Ouro, devido a nossa classificação, juntamente com Corinthians, América do Rio, Atlético Paranaense entre outros. Com a participação entre 44 clubes, o clube rio-grandino foi 31º lugar. Técnicos Abel Vieira – Júlio Arão, preparador físico Pedro Pepe.

Em 1986 participou da Copa Brasil-Sul e, em 2016 participou do campeonato Nacional, da série D.

Fotos: Time de 1979, construção das monumentais arquibancadas, inauguração do atual sistema de iluminação pelo patrono Aldo Dapuzzo e viagem para jogo em São Paulo contra o Palmeiras.

Receba nossa newsletter